UM ANO DE ADMINISTRAÇÃO DE RODRIGUES SANTOS

DSC01362njn5

No fim da tarde de segunda (25/02) os funcionários da FUNFFEC realizaram uma descontraída e, ao mesmo tempo, emotiva comemoração pela passagem do primeiro ano de administração de Rodrigues Santos na referida organização. Foram muitas as mensagens de carinho, admiração, agradecimento e felicitações.

E não poderia ser diferente frente a uma verdadeira revolução estrutural e pela construção, dia a dia, de relações de profissionalismo, amizade, comprometimento e aprendizagem mútua. Mesmo diante das dificuldades, das renúncias, Rodrigues Santos tem demonstrado uma conduta que inspira a todos na FUNFFEC.

Muitas coisas mudaram, até porque uma instituição que não evolui, que não acompanha e/ou antecede as exigências do mundo moderno, tende a perder espaço e efetividade de suas ações. E nesse percurso de um ano, a administração de Rodrigues Santos tem feito grandes transformações em diversos aspectos, na infraestrutura que permite a ação humana mais eficaz, na ampliação e melhoria de seus serviços, na qualificação e valorização profissional, no crescimento institucional através de parcerias público-privadas, no envolvimento intenso e construtivo com a comunidade e voluntários.

Nesse curto período a FUNFFEC passou de 04 cursos para mais de 20, entre cursos e minicursos. Antes o número de alunos chegava a 110 atendimentos, atualmente o número subiu para 315, sem contar 65 pessoas na lista de espera. A estrutura também teve papel de destaque com ampliação, revitalização e aparelhamento. Na área de recursos humanos os funcionários recebem, constantemente, ensino de capacitação e atualização, imprescindíveis para um atendimento de qualidade a sua clientela e colaboradores.

Nesse contexto, a liderança tem papel decisivo, ela é quem direciona o caminho. O líder necessita ser habilidoso, perspicaz, cordial, afetivo, pontual, respeitoso, positivista, sensível, interativo, aglutinante, não autoritário, somador de ideias, para assim chegar ao objetivo de forma eficaz e eficiente e num menor espaço de tempo possível.

Assim tem sido o comportamento de Rodrigues, um líder sério, humilde, que sabe escutar e se posicionar, que busca tirar o melhor de cada um de seus parceiros. Em suas palavras isso fica evidente: “Administrar é, justamente, encontrarmos aquilo que as pessoas tem de melhor… Todo mundo tem algo de bom para dar”.

O alcance dos objetos organizacionais passa, de fato, pela doação de cada um, de seus talentos e habilidades, do compromisso com as metas traçadas. Só assim é possível chegar ao sucesso que requer planejamento, criatividade, ousadia, motivação, muito trabalho e determinação.

Por Antonio Roberto Fernandes do Nascimento